Pages Menu
Facebook
Categories Menu

Posted on Ago 5, 2013 in DESTAQUE, HIDROCEFALIA, O que é? |

É uma condição conhecida como a existência de “água no cérebro”. Esta “água” é na verdade líquido cefalo-raquidiano (LCR), ou líquor. Este é o líquido responsável por proteger e hidratar as principais estruturas do sistema nervoso central, o cérebro e a medula espinal. É produzido no cérebro e habitualmente absorvido pela corrente sanguínea, renovando-se. A Hidrocefalia ocorre quando há um desequilíbrio entre a produção e absorção do líquor pela corrente sanguínea ao nível dos ventrículos cerebrais. Quando a produção é superior à absorção, o líquor acumula – se no cérebro, geralmente sob pressão elevada. No recém-nascido, devido à condição dos ossos do crânio, ainda não completamente desenvolvidos e unidos, o aumento da pressão faz com que a cabeça aumente de tamanho. A Hidrocefalia é quase sempre associada à forma aberta de Spina Bífida denominada de mielomeningocelo sendo que a percentagem de crianças que evidencia as suas patologias em simultâneo é de aproximadamente 80%....

Read More

Posted on Jun 5, 2013 in HIDROCEFALIA, Malformação Arnold Chiari II |

Malformação Arnold Chiari II

Malformação Arnold Chiari II

Grande parte destas crianças tem associada uma malformação complexa do cérebro denominada por Arnold Chiari que consiste, na descida do cerebelo e tronco cerebral, aumento do diâmetro do Foramen Magnum e um espessamento da fossa posterior do crânio. Estudos feitos em ratos explicam estas alterações, com o possível ancoramento da medula no saco do mielomeningocelo, que no decorrer da gestação o crescimento cefalo-caudal faz um efeito de “estiramento” das estruturas cerebrais, e espessamento da fossa posterior do crânio, que se traduz numa adaptação da calote craniana às estruturas cerebrais (Sandler, 2003). Todas estas alterações provocam um “empurrão” do cerebelo para a frente, obstruindo a passagem de Liquor Cefalorraquidiano do 3º para o 4º ventrículo através do aqueduto de Silvius. Esta obstrução vai dar origem a um aumento do volume de Liquor Cefalorraquidiano nos ventrículos laterais e consequentemente, a hidrocefalia, necessitando de uma intervenção neurocirúrgica para colocação de uma válvula ventrículo-peritoneal com o objectivo de drenar o liquor excedente dos ventrículos laterais para o peritoneu. (Excerto retirado da dissertação para...

Read More

Posted on Jun 5, 2013 in Complicações do Shunt, HIDROCEFALIA |

Não queremos preocupá-lo! As seguintes complicações são informações adicionais para que possa estar ciente e devidamente informado. Como qualquer mecanismo artificial colocado no organismo de uma pessoa, podem existir complicações no pós-operatório. As duas mais frequentes são: 1. Bloqueio – Significa o entupimento ou bloqueio do Shunt. No recém – nascido deve estar atento a alguns sinais e sintomas como irritabilidade, aumento da temperatura, vómitos, fontanelas hipertensas. Esta complicação ocorre nos primeiros 12 meses após a inserção do Shunt. Em caso de bloqueio é necessária nova intervenção cirúrgica para reajustamento do Shunt. O importante é estar atento a alterações do comportamento do bebé. Como pais, vocês serão os melhores juízes do seu bem-estar. 2. Infecção – A infecção do shunt, pode ocorrer a qualquer momento, mas o período de maior risco é durante os dois primeiros meses. Na presença de infecção, o bebé poderá apresentar aumento da temperatura corporal, cansaço, irritabilidade, falta de apetite, erupções na pele em torno do local de inserção. Cada criança é diferente pelo que também...

Read More

Posted on Jun 5, 2013 in HIDROCEFALIA, Tratamento da Hidrocefalia |

Tratamento da Hidrocefalia

Tratamento da Hidrocefalia

O aumento do volume de Liquor Cefalorraquidiano nos ventrículos laterais denominada de hidrocefalia, em todos os casos de hidrocefalia existe sintomatologia e necessita de uma intervenção imediata. O tratamento da hidrocefalia tem como principal objectivo manter a pressão intraventricular estável sem comprometer o parênquima cerebral. O tratamento, na maioria dos casos, é cirúrgico com a colocação de um shunt que tem como função drenar o LCR excedente dos ventrículos para o peritoneu da própria criança (derivação ventriculo-peritoneal ou Shunt VP) (HOCKENBERRY, 2006). Consiste numa intervenção cirúrgica na qual se remove o obstáculo que está a impedir a circulação do LCR e/ou na colocação de um shunt. O shunt é uma válvula conectada a um tubo de plástico que vai permitir a drenagem do LCR excedente da cabeça para o peritoneu (cavidade abdominal). Esta válvula é colocada na cabeça nos ventrículos cerebrais e controla a pressão dentro do cérebro deixando sair o LCR acumulado e está ligada a um tubo que vai por baixo da pele até ao peritoneu. À direita: Drenagem ventrículo-peritoneal “Living...

Read More

Posted on Jun 4, 2013 in HIDROCEFALIA, Sintomas de Hidrocefalia |

Sintomas de Hidrocefalia

Recém-nascido/Bebé Aumento do Perímetro Cefálico; Rede venosa do couro cabeludo visível; Fontanelas tensas e não pulsáteis; Afastamento das Suturas cranianas; Sinal de Macewen (som do tipo oco à percussão) Recusa alimentar Irritabilidade (difícil de consolar) Choro estridente Redução da espessura dos ossos cranianos. Infância Recusa alimentar Irritabilidade; Letargia; Apatia; Confusão; Vómitos; Cefaleias matinais; Estrabismo; Alt. Extrapiramidais (ataxia: marcha desequilibrada) Olhos encovados; Sinal de sol poente (esclerótica visível acima da íris); Reacção Pupilar lenta, com resposta assimétrica à luz. Lactente chora quando levantado ou balançado e fica calmo quando deitado; Posição em opistótonos (Hiperextensão da cabeça); Espasticidade (rigidez) nos membros inferiores; Adulto Cefaleia Alterações da visão Náuseas e vómitos Distúrbios psíquicos Parésia do VI nervo craniano...

Read More

Posted on Mai 8, 2004 in HIDROCEFALIA, Malformação Arnold Chiari II |

Malformação Arnold Chiari II

Malformação Arnold Chiari II

Grande parte destas crianças tem associada uma malformação complexa do cérebro denominada por Arnold Chiari que consiste, na descida do cerebelo e tronco cerebral, aumento do diâmetro do Foramen Magnum e um espessamento da fossa posterior do crânio. Estudos feitos em ratos explicam estas alterações, com o possível ancoramento da medula no saco do mielomeningocelo, que no decorrer da gestação o crescimento cefalo-caudal faz um efeito de “estiramento” das estruturas cerebrais, e espessamento da fossa posterior do crânio, que se traduz numa adaptação da calote craniana às estruturas cerebrais (Sandler, 2003). Todas estas alterações provocam um “empurramento” do cerebelo para a frente, obstruindo a passagem de Liquor Cefalorraquidiano do 3º para o 4º ventrículo através do aqueduto de Silvius. Esta obstrução vai dar origem a um aumento do volume de Liquor Cefalorraquidiano nos ventrículos laterais e consequentemente, a hidrocefalia, necessitando de uma intervenção neurocirúrgica para colocação de uma válvula ventrículo-peritoneal com o objectivo de drenar o liquor excedente dos ventrículos laterais para o peritoneu.          Malformação...

Read More